Expansão da Consciência - Mirtzi

Blog

Ajustando as Freq??ncias Vibrat?rias

Posted by expandindo-a-consciencia on July 5, 2009 at 5:01 PM

A cada dia torna-se mais compreensível e natural, nos dias de hoje, o uso da palavra “vibração” ou da expressão “freqüência vibratória ou vibracional”.

Quando mencionamos estas palavras, imediatamente, a imagem que acessamos é de ritmo, som, ressonância.

E se é som, ritmo, ressonância, é ingrediente que pode ser ajustado, melhorado, de tal modo que tenhamos neles mais e mais harmonia. Portanto, podemos ajustar a freqüências vibratórias. Como fazê-lo, então?

O modo mais fácil e seguro é fazermos esse ajuste através da quantidade de Amor sem condição e desapegado que tivermos em nosso coração, pois este tipo de Amor é constituído da freqüência mais pura no nosso Universo.

Outra opção para realizarmos este ajuste de freqüência vibracional é fazê-lo através do uso de mantras; de música harmoniosa; da visualização de cores e de formas geométricas específicas para cada tipo de resultado desejado; da respiração cadenciada e concentrada; do silêncio interior e do aquietamento pessoal.

Para entrarmos em sintonia com a pulsação do cosmos (vibrações medidas em Hertz), podemos fazê-lo através de exercícios de meditação com ou sem mantras (som); com ou sem mudras (sinais ou símbolos). Podemos entoar os mantras em um ritmo constante e harmônico, podendo nos levar à conexão com a freqüência vibratória do próprio cosmos ou podemos simplesmente silenciarmos a tudo, inclusive e principalmente, silenciando quanto ao burburinho de nossos próprios pensamentos. É no silêncio de nosso ser que a harmonia e a eternidade se revelam. Que busquemos esses momentos de quietude que nos trarão grandes revelações e descobertas, além de nos elevarmos a patamar mais sutil e mais amplo.

As freqüências vibratórias emitidas por cada pessoa e por cada objeto podem se modificar quando submetidas a diferentes sons e cores, quando submetidas às efusões de Amor puro, quando submetidas à contemplação amorosa. Através destes campos de energia que se formam, é perfeitamente possível realizar um afinamento vibratório. Através dele o indivíduo irá se ajustando de modo a empreender um contato com realidades superiores à sua a cada passo galgado nesta afinação ou refinamento.

Atualmente tais assertivas já foram cientificamente comprovadas, inclusive, porque os múltiplos geométricos da nota fundamental de cada ser e objeto são de natureza quântica.

Cada pessoa tem uma nota fundamental, que se desdobra em tons e sobre-tons. Cada pessoa sobre a Terra ressoa numa freqüência vibratória própria, que se modifica conforme cada situação ou circunstância vivenciada. Essas freqüências devem ser trabalhadas para que possamos nos conectar à consciência de seres excelsos e de esferas celestiais.

Nossos estados vibracionais passam por processos de maturação de energia, e estes estados serão mais sutis à medida que houver um grau de abertura interior maior e entrega de si mesmos a este processo de mudança de freqüências.

Para este plano de três dimensões, o silêncio interior, o controle da palavra, a ausência de ambição e apego a resultados, o elevado senso de zelo pelo que é do Plano de Deus nessa Terra, a doação de si mesmo ao Propósito de Deus, assim como o amor impessoal e incondicional, se constituem chaves essenciais a grau crescente de harmonização e conseqüente ajuste vibracional. Portanto, a freqüência vibratória da pessoa que experimenta tais condutas, se elevará ou se manterá num nível compatível com a quarta, quinta, sexta ou sétima dimensões.

Uma comparação, que embora rude, nos demonstra claramente que há uma gradação de pureza entre as faixas vibracionais, é imaginarmos as freqüências de rádio AM, FM e freqüências que estão acima destas. Quanto mais elevadas forem as faixas sintonizadas, mais claro e limpo o som e a compreensão se tornarão. Quanto mais baixa for esta freqüência, menos nítido será o som e mais suscetível a interferências externas (ruídos).

Neste aspecto, o amor e o som são poderosos instrumentos para ajustar nossa freqüência vibratória, e com isto, poderemos acessar patamar vibracional superior. Neste contexto, o “contato” com dimensões e o acesso a informações superiores virá como conseqüência deste novo estado de consciência. Ou seja, será viabilizado o insight ou a canalização.

Há relatos em livros e brochuras de que alguns extraterrestres já usaram um tipo de linguagem de tom e melodia para contatar humanos, sem uso de palavra articulada ou de sinais escritos. Nestes textos há indicação de que alguns destes contatos foram captados e mimetizados através de computadores. Seria, então, uma linguagem tonal substancialmente harmônica. Com base em pesquisas em registros deste tipo que filmes de ficção científica demonstraram circunstâncias de contato extraterrestre em níveis semelhantes.

Como exemplo da linguagem tonal, muitos autores mencionaram o poder do canto tibetano, capaz de movimentar até mesmo naves espaciais, de criar campos interdimensionais e de comunicar-se com UFOS.

Vários animais, a exemplo dos golfinhos, emitem um tipo de linguagem melódica, que geralmente está associada ao amor, tendo o poder purificador, colaborando com a elevação do quociente vibracional do planeta.

Para que o ser humano possa acessar um patamar vibratório superior ao de terceira dimensão, é necessário que ele se eleve à sintonia correspondente, à semelhança do que fazemos para captar sinais de determinada emissora de rádio ou TV.

No dicionário Aurélio, sintonia é: “Condição de um circuito cuja freqüência de oscilação é igual à de um outro circuito ou à de um campo oscilante externo”, já outro significado faz referência à harmonia, à reciprocidade, à correspondência com o meio.

Ressonância vibratória é um termo que é muito utilizado na medicina, sendo o uso de exames bem corriqueiro atualmente. Os aparelhos são cada vez mais sofisticados no sentido de captar a vibração e ter a capacidade de mostrar claramente a situação de órgãos, tecidos dos diversos aparelhos do corpo humano. Os ritmos do nosso cérebro também são medidos pelos impulsos que emite, através de ciclos por segundos, apontando uma medição da freqüência vibratória.

Um ciclo por segundo é expresso em Hertz, que é uma unidade de medida de freqüência de um fenômeno periódico igual à freqüência de um evento por segundo. Isto foi postulado através do físico alemão Heinrich Hertz (1857/1894).

Desde 1929, o psiquiatra austríaco Hans Berger, descobriu que o cérebro humano emite ondas elétricas ou impulsos eletromagnéticos. Atualmente, se sabe que há pelo menos quatro principais categorias de ritmos cerebrais: beta, alfa, teta e delta. Cada ritmo cerebral corresponde a um nível mental, conseqüentemente a uma atividade corporal específica. O cérebro humano oscila suas freqüências cerebrais do estado de consciência exterior ao interior e vice-versa.

A faixa Beta corresponderia aos impulsos de 13 a 28 ciclos por segundo, onde geralmente estão polarizadas as pessoas do ocidente, que geralmente se deixam levar por freqüências de estresse e atividade externa. Neste estado, os neurônios estão dispersos e energia é gasta excessivamente. Em conseqüência, se experimenta o cansado ou falta de vitalidade com maior facilidade, além de baixar a imunidade do corpo. É um estado de confusão, tensões e preocupações.

O nível Alfa, cuja freqüência oscila entre 8 a 12 ciclos por segundo, está relacionado com o nível de tranqüilidade, paz interior e exterior. Cada vez que entramos em estado de relaxamento, há concentração, imaginação e criatividade, ou seja, entramos numa freqüência propícia ao atemporal e aos insights. Já a faixa Teta corresponde à freqüência de 4 a 7 ciclos por segundo, na qual, segundo alguns pesquisadores, muitos orientais já funcionam normalmente.

Um dado interessante é que, estando polarizados de 7,5 a 8 Hertz pode se acessar a percepção extra-sensorial (P.E.S.), onde ocorrem as canalizações, ou comunicação com seres de planos acima da terceira dimensão [extraterrestres e ultraterrestres]. Muitos cientistas trabalham nesta faixa vibracional e recebem do universo “insights” ou inspirações para descobertas e postulados. Muitos santos estão nessa freqüência, irmanados com as energias celestiais.

A faixa Delta corresponde à freqüência abaixo de 4 ciclos por segundo e refere-se a um nível de consciência ainda pouco conhecido e estudado pela ciência, é chamado de estado de sono profundo, de inconsciência, que algumas vezes está também relacionado ao estado de coma. Segundo especialistas nesta área, os bebês recém-nascidos vivem nesta freqüência.

Entre as faixas de freqüências vibracionais Alfa e Teta, o consciente direito do hemisfério cerebral é acessado. Este lado cerebral (hemisfério direito) atua como ponte para o corpo mental abstrato, cuja sintonia é o eterno presente e seu campo é multidimensional, portanto, de infinitas possibilidades. Através do consciente direito, fazemos a ponte com padrões mais amplos, penetrando no atemporal, no intangível, em realidades superiores. Aí está o segredo da atualmente denominada Inteligência Espiritual.

Já o consciente esquerdo trabalha com o raciocínio, a lógica e a dedução, no mental concreto, ou seja, lida com a experiência passada, com aquilo que lhe é conhecido. Há alguns estudiosos que falam de três hemisférios cerebrais que precisam trabalhar em harmonia: o direito, o esquerdo e o central. Seriam eles relacionados diretamente às inteligências emocional, convencional e espiritual?

O essencial é entendermos que todos estes hemisférios do cérebro devem estar equilibrados, também fisicamente falando, para que em corpo físico haja sintonia aos padrões superiores de energia, no sentido de fluir e estabelecer conexões com esses níveis e padrões. Logo, obtendo tal equilíbrio e harmonização, poderemos participar de uma rede ou malha de comunicação interna capaz de receber mensagens e informações de planos superiores, no processo que se chama canalização. Havemos de interagir com patamares conscienciais mais elevados, naturalmente. Isto poderá acontecer também em relação a pessoas que se encontram distantes fisicamente, porém conectadas nos níveis e planos internos.

Em síntese, como o universo manifestado é vibração assim como toda forma que o habita também é. Tudo é percebido como som.

Para que o ser humano possa acessar e manter contato consciente com realidades superiores, deverá ajustar sua freqüência vibratória, de modo que ressoe harmoniosamente com o universo. Isto se trata de um alinhamento, que poderá ser facilitado pelo uso do canto, da meditação, do silêncio interior, da respiração ou da música.

Estão prontos para essa viagem?

 

 

Mirtzi Lima Ribeiro

[email protected]

Categories: None

Post a Comment

Oops!

Oops, you forgot something.

Oops!

The words you entered did not match the given text. Please try again.

Already a member? Sign In

0 Comments